quinta-feira, 9 de maio de 2013

Escher

ESCHER

Maurits Cornelis Escher (Leeuwarden, 17 de Junho de 1898 — Hilversum, 27 de Março de 1972) filho de Sarah Gleichman e de George Arnold Escher, engenheiro civil, é encorajado desde cedo a aprender algumas artes ligadas à carpintaria.   

Foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.
 Escher trabalhou sempre com regularidade, exceto quando alguns problemas de saúde o obrigaram afastar-se da vida artística (1962-1970).  
Os seus trabalhos foram apresentados publicamente numa grande exposição retrospectiva em The Hague (1968) e outra em Washington. Depois de uma série de operações instala-se na Rosa Spier House em Laren, no norte da Holanda. Apesar do seu estado de saúde inspirar já algum  cuidado, ainda chegou a assistir à publicação do livro -The World of M. C. Escher.
Faleceu a 27 de Março de 1972 no hospital de Hilversum quando ainda não tinha completado 74 anos.
 
OBRA DA SEMANA: METAMORFOSE II (1939-1940)
 

 
Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com efeitos de ilusões de óptica. Foi numa visita à Alhambra, na Espanha, que o artista conheceu e se encantou pelos mosaicos que havia neste palácio de construção árabe. Escher achou muito interessante as formas como cada figura se entrelaçava a outra e se repetia, formando belos padrões geométricos, entretanto, Escher procura dar vida a esses padrões, substituindo formas abstratas por elementos reconhecíveis como animas, plantas ou pessoas.
http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/escher/vida.html


 

 

2 comentários:

Lucas Wolter Hansen disse...

essa obra foi uma das melhores cara muito massa

Gabriela Fernanda Lavinski disse...

Nossa que legal. :)